Diário - Febre do Gamânio (5ª sessão)

Origem da imagem 


Desculpem pela demora em fazer uma postagem nova. Estava (e ainda estou um pouco) atolado de coisas no trabalho.

A 5ª sessão da Febre de Gamânio foi a última do primeiro arco da campanha. Agora que ela passou, vou dar um tempo sem mestrar (até para dar chance aos outros jogadores mestrarem suas respectivas mesas, também). Ela foi relativamente simples, mas concluiu muito do que estava pendente desde o começo.

Durante a "side-quest" do Lynch, ele invadiu um prédio do Midnight Council e conseguiu obter mais informações sobre a tal da "monofocalização". Informações que fizeram os outros jogadores entender que ela criava uma consciência coletiva, através de algo semelhante a um controle mental. Teorizaram, então, que Kenson estava tentando usá-la para criar uma consciência coletiva universal e ser o "centro" dessa consciência.

Os jogadores, então, planejaram uma armadilha: criaram uma grande carga de alumínio (que é, fisicamente, bastante parecido com o Gamânio) a ser transportada de um ponto a outro da cidade, e espalharam informações no submundo como forma de blefe para o Kenson, como se fossem transportar uma grande carga de Gamânio.

Kenson caiu no blefe, e tentou interceptar o trem. Mas os jogadores estavam preparados: Uyaruj passara dias construindo um anulador de teletransporte (usando o feito Inventor). Além disso, o irmão de Aang, Gyu (conhecido na Terra como Arthur Ferdinand) também surgiu, querendo capturar, também, o Kenson (a quem chamava de "Giospathi"). Após um rápido combate, Kenson e seus capangas são derrotados (mas Ernaix escapa, pois foi arremessado por Aang para fora do trem).

Os personagens interrogam os vilões. Kenson revela que ele próprio fora apenas contratado. Trakresh faz um trato e revela maiores informações sobre os contratantes (dois deles têm sua cabeça a prêmio pelo triplo do valor de Kenson), depois é mandado como mercenário para a Somália.

Com rapidez, os jogadores conseguem encontrar e capturar, também, Ernaix. Entretanto, descobrem que Kenson pode ter um backup de sua própria mente na cidade de Star City. Gyu vai investigar isso, enquanto os jogadores pensam no que devem fazer a seguir.



Observações

Essa sessão foi menos do que eu gostaria, mas foi o bastante para encerrar o primeiro arco da campanha. Os jogadores conseguiram derrotar o vilão Kenson (que, como não era o verdadeiro vilão, foi derrotado com relativa facilidade), Aang reencontrou Gyu (apesar de ambos ainda não poderem voltar para casa, porque a missão de Gyu na Terra - capturar Kenson - ainda não acabou) e descobriram diversas funções do Gamânio.

Mas, como sempre, ainda há coisas para o próximo arco, além do novo vilão: o Midnight Council ainda não começou a reagir contra os jogadores, Krauss não apareceu novamente, além de objetivos pessoais do background de cada jogador ainda não terem sido realizados.

Não sei quando voltarei a narrar, já que ando bastante ocupado com trabalho e faculdade. Porém, um dos jogadores (Gláucio, o jogador do Metalbolt) vai narrar uma campanha de Avatar. Vou fazer comentários sobre as sessões, e descrever algumas dicas de adaptação para os mais diversos dobradores, além de falar sobre meu próprio personagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sinto muito, mas GURPS não é bom

Em defesa do New School

Conflitos não-combativos